Resultado = 3 - Perdida na Rota de Fuga

Você já sabe bem o que fazer sair da prisão, mas sua estratégia precisa melhorar

Leia com atenção a descrição abaixo e descubra os próximos passos para avançar na sua jornada para a Liberdade Alimentar.

O que significa estar

Perdida na Rota de Fuga

Você já entendeu que o emagrecimento vai muito além do fechar a boca e que o que está se passando no seu subconsciente sua cabeça é a grande estrela do jogo. Você reconhece o enorme papel que as suas emoções têm na sua alimentação, mas ainda não conhece boas estratégias para lidar com as suas emoções negativas sem a comida.

Você possivelmente conhece alguns dos seus sabotadores subconscientes que dificultam o seu emagrecimento. Mas, como você não está conseguindo vencê-los, você se sente presa a comportamentos e hábitos que estão impedindo a sua transformação.

Mesmo sabendo das armadilhas da mentalidade de dieta, você ainda repete vários padrões de restrição e sente culpa por comer. É possível que você esteja tentando abandonar as dietas e retomar a conexão com a sabedoria do seu corpo e criar uma relação prazerosa com a comida, mas você se sente perdida ou desanimada pensando em quanto tempo isso pode demorar.

Provavelmente, tantos anos de dieta e regras do quê e quanto comer podem ter abafado os sinais naturais de fome e saciedade do seu corpo. Agora que você está tentando se reconectar com eles, você possivelmente se sente perdida quando tenta interpretá-los e, principalmente, respeitá-los. Por isso, você ainda acaba comendo sem fome física mesmo quando sabe que é vontade de comer e dificilmente pára de comer quando está confortavelmente saciada. É provável que o seu "normal" ainda seja comer bem mais do que você precisa para se manter saudável e bem nutrida.

Em geral, você até consegue manter uma alimentação bem nutritiva e variada, mas ainda exagera quando come algo considerado "errado", como massas ou doces, o que acaba em culpa e autocrítica. O fato de normalmente comer sem atenção, mexendo no celular ou assistindo TV, prejudica o prazer global que você sente na sua alimentação, o que te leva a comer ainda mais.

Você já tem amplo conhecimento nutricional, mas ainda tem pouco sucesso na consistência. Essa variação na qualidade e quantidade calórica (dias de “fartura” versus dias de “miséria”) deixa o seu corpo confuso e desconfortável. Você provavelmente não precisa de um novo plano alimentar ou de mais conhecimento sobre o quê comer se nem consegue aplicar o que já sabe hoje. Consistência e qualidade precisam vir antes de uma nova estratégia nutricional.

Em relação ao autocuidado, você possivelmente sente que todos mereçam o seu tempo menos você mesma, por isso o seu autocuidado diário só acontece "quando dá". Mesmo sabendo da importância de pequenos atos de amor-próprio, eles ainda não estão marcados à caneta na sua agenda e, por falta de consistência, você não aproveita todos os benefícios das práticas. Colocar o autocuidado diário na sua rotina como algo indiscutível pode melhorar muito o seu bem-estar global, e a máxima é sempre válida: quando você se sente bem, você come bem.

Mesmo sem consistência na prática, você já sabe as habilidades que precisa desenvolver para se tornar uma pessoa que se mantém um peso estável sem estresse. Ouvir o seu corpo e comer somente o suficiente na maioria das refeições é uma das mais importantes delas, além de aprender a escolher alimentos nutritivos sem sofrimento ou sentimento de privação.

Tudo isso é super possível, e pode acontecer quando você abre a sua mente para uma nova abordagem. O seu próximo passo para a liberdade é melhorar sua estratégia para conseguir colocar o plano de fuga em prática. Você merece uma nova relação com a comida e com o seu corpo e, para isso, você precisa ter coragem e empenho para pular o muro.

Como Você Pode Avançar

Nessa Jornada

... e criar uma relação totalmente nova com a comida e com o seu corpo

Como você pode observar na figura acima, existem 4 níveis subsequentes na jornada da Prisão da Comida à Liberdade Alimentar.

Embora eu conheça muitas pessoas Vivendo na Prisão da Comida (estágio 1), a maioria das pessoas que procura a minha ajuda se encontra um pouco à frente da jornada. Elas já entenderam que dietas não funcionam e estão procurando entender o que fazer ao invés disso (estágio 2) ou elas já estão tentando colocar o plano de fuga em prática, mas pecando na estratégia (estágio 3). O estágio 4 é para onde eu as guio, e alguém que já vive com Liberdade Alimentar não precisa mais da minha ajuda.

Este QUIZ te mostrou onde você se encontra nessa jornada, de forma que você tem a clareza de onde está hoje e de onde pode chegar.

Para seguir nessa jornada em direção à Liberdade Alimentar, como em qualquer outra jornada de desenvolvimento, tenha certeza de que você precisa investir energia (mão na massa) e recursos, seja tempo ou dinheiro. Assim, você tem algumas opções.

Opção 1. Alto comprometimento de tempo e Baixo investimento financeiro

Esta é a opção mais praticada do mundo (eu certamente fiquei nela por muito tempo). Aqui é onde você vai colecionando dicas e testando em si mesma, consumindo o conteúdo gratuito de profissionais nas redes sociais, aprendendo o que pode e aplicando o que consegue, como consegue. Acredite: isso é MELHOR do que nada!

Mas, infelizmente, é pouco efetivo. Uma porque hoje o mar de informações é muito extenso e é muito difícil saber em quem confiar, e outra porque o seu plano acaba sendo uma colcha de retalhos e nada individualizado para você. No final das contas, o investimento financeiro é baixo ou nulo, mas os resultados demoram muito para vir (se vierem).

Opção 2. Médio comprometimento de tempo e Médio investimento financeiro

Aqui é onde você começou a ter um pouco de estrutura no seu processo. Você apostou num sistema ordenado, com objetivo específico, seja no formato de curso (online ou presencial) ou de um livro.

Embora haja maior estrutura e você se sinta mais confiante, o plano ainda não é individualizado para você, então qualquer desvio que não esteja previsto nele te deixa perdida e desamparada. Você certamente tem maiores chances de sucesso do que sem estrutura nenhuma, mas pode ser que ele demore muito para chegar, exatamente por conta dos percalços que você vai precisar enfrentar sozinha.

Opção 3. Baixo comprometimento de tempo e Alto investimento financeiro

Trabalhar com um mentor é, sem sombra de dúvidas, a forma mais garantida de alcançar os resultados que você busca. Um trabalho baseado num sistema estruturado e individualizado para você, em que você se sinta suportada em todos os passos do processo, pode tornar a sua evolução mais rápida e bem-sucedida.

Dificilmente isso funciona com suporte esporádico, senão bastaria uma consulta e um retorno com o seu profissional de escolha e tudo estaria resolvido. O tipo de transformação profunda que você está buscando não funciona assim, sendo preciso pelo menos 2 ou 3 meses de trabalho consistente e direcionado.

Não custa reforçar: esse mentor não precisa ser eu! Existem mais pessoas fazendo um ótimo trabalho, em diferentes formatos, para te ajudar a repensarem sua relação com a comida. Escolhendo a mim ou não, tenha certeza de que ter ajuda especializada e individualizada para você é a melhor forma de otimizar os seus esforços e sair mais rapidamente da Prisão da Comida.


Todas as três opções estão sempre disponíveis para você. A escolha dentre elas varia conforme o seu senso de prioridade, graus de urgência e possibilidade. Independentemente do que você escolha, todas elas demandam esforço. Nenhuma mudança acontece sozinha, não importa o quão exausta você esteja do seu estado atual. O seu comprometimento é o seu recurso mais valioso.

Se você gostou do que leu até aqui e está comprometida em alcançar a Liberdade Alimentar, é hora de dar o próximo passo.

Conteúdos que Podem te Ajudar

© 2020 Lívia Raimundo

Política de Privacidade