“Tá pago” é o escambau! Não seja refém do exercício compulsivo.

by | Oct 10, 2021 | Autocuidado, Mentalidade

Se você sempre esteve envolvida numa busca incessante pelo emagrecimento é quase certeza que você já frequentou uma academia (mesmo que sem vontade nenhuma rs).

E se você já frequentou uma academia, é muito provável que você já tenha se deparado com os termos “tá pago”, “sem dor sem ganho” e similares. 

Mas, se você pensa que essas expressões vão te ajudar em qualquer coisa relacionada à sua saúde, pode esquecer!

Essas frases, que à primeira vista podem parecer inocentes e que funcionam como “pílulas” de incentivo para atingir a boa forma, são capazes de transformar a sua relação com os exercícios, e fazer com que você se torne refém deles.

Mas qual é o problema por trás dessas expressões?

O problema é que essas frases podem reforçar ideias erradas sobre como realmente deve ser o ato de se exercitar.

Você já se encontrou num loop infinito de comer algo muito calórico, sentir que precisa compensar isso e logo em seguida se matar de tanto treinar para eliminar essas calorias?

Se a resposta for sim, saiba que a repetição das frases “No Pain No Gain” e “Tá Pago” provavelmente tenha contribuído para que você tornasse o ato de se exercitar num hábito compulsivo.

Para entender melhor a origem dessa problemática, precisamos relembrar quais são os pilares para a tão sonhada liberdade alimentar, são eles: pilar emocional, pilar físico e pilar mental. 

Quando eu falo sobre mentalidade disfuncional com os exercícios, estou reforçando a ideia da desconexão com o corpo, aí entra o pilar físico.

Se eu falo sobre uma mentalidade de dieta muito enraizada, isso se refere ao pilar mental.

Ainda, tratando-se dessa relação conturbada com os exercícios, é certo que ela pode ser fruto de um problema no controle de emoções, daí surge o pilar emocional. 

Entende como esse loop está seguindo o caminho contrário para a liberdade que você tanto sonha? Mas então por que continuamos nessa repetição infinita de precisar compensar as calorias a mais que foram consumidas com treino?

Nós temos essa cultura de “sem dor sem ganho”, que é a ideia de que quanto mais doloroso ou quanto mais nos esforçarmos no treino melhores resultados estéticos teremos, e até hoje isso é propagado com o termo “tá pago”, ou mesmo com a ideia do “foco, força e fé”. 

E todas essas frases estão muito atrelados ao conceito de força, é a ideia de que devemos usar a nossa força para nos punir de algo e conseguir resultados com isso. 

Porém, isso tudo acaba tirando o foco real dos exercícios. Nós devemos nos movimentar pensando não só no benefício estético, mas na saúde em primeiro lugar. O exercício deve ser algo legal e que te motive a cuidar mais do seu corpo como um todo, não só da aparência dele. 

Quando você entende isso, você passa a se exercitar sem pensar nisso como uma punição e como algo que deve ser “pago” para compensar alguma coisa. 

Como saber se eu desenvolvi uma relação compulsiva com os exercícios? 

Ficou em dúvida se você desenvolveu uma relação disfuncional com os exercícios? Preste atenção nestes sinais:

  • Você não deixa de treinar mesmo quando está doente;
  • Você não deixa de treinar mesmo com dor;
  • Você se sente realmente culpada quando perde um treino;
  • Você não deixa de treinar mesmo quando há situações que podem te atrapalhar, como chuva e outros imprevistos.

Quando você se identifica com algum desses sinais, significa que você desenvolveu uma mentalidade de vínculo abusivo com o ato de se exercitar, de tal maneira que você não respeita mais os limites do seu corpo e associa a ideia de sofrer com o ganho. 

O principal pensamento que mantém a gente nessa ideia de que é preciso compensar, de que é preciso treinar cada vez mais e mais e etc, é a idealização de que o seu corpo está contra você, então, se você se permitir descansar ou fazer menos do que eu deveria fazer, o seu corpo irá te trair. 

No entanto, muitas vezes esse excesso de treino pode gerar resultados contrários ao que se espera. Quando você treina de maneira tão intensa que ultrapassa os seus limites, o seu corpo se sente tão pressionado que, obviamente, na primeira oportunidade ele irá estocar tudo o que ele pode. Daí surge a ideia de que você engorda quando para de treinar. 

O segredo está no equilíbrio.

Para que você finalmente se livre dessa ideia errada sobre se exercitar e para que consiga desenvolver o equilíbrio, você precisa ter em mente alguns pensamentos:

O exercício não deve ser realizado pensando somente no emagrecimento.

Você não deve se exercitar pensando em dor e punição.

Você não precisa se punir quando exagera na comida.

Respeite o seu corpo e os seus limites e as situações que podem te impedir de treinar.

E por fim, ajuste a sua relação com a comida. A raiz de todos esses problemas está nisso, não adianta praticar nenhuma dessas dicas se você não tem controle sobre a sua alimentação.

Ah! E não se esqueça: você é a pessoa mais importante da sua vida, aja como tal! Cuide do seu corpo, da sua mente e das suas emoções da melhor maneira possível, que os resultados surgirão inconscientemente. 

Lívia Raimundo

Lívia Raimundo

Coach Alimentar, Pn1

Eu ajudo mulheres a comerem melhor e emagrecerem sem neuras.

Eu sou coach nutricional, doutora em marketing de alimentos, estudante de Nutrição, aquariana, louca por café, livros e um bom papo. Eu também amo cozinhar (e comer, óbvio).

Eu vivo em São Paulo com o meu noivo e dedico a maior parte do meu tempo a inspirar mulheres a alcançarem uma relação mais leve e feliz com a comida e com o próprio corpo.

O Passo-a Passo para Escapar da Prisão da Comida

Quiz da Liberdade Alimentar

Teste seu nível de conhecimento e habilidade nos exatos pontos que eu aprendi a dominar para reescrever a minha história com a comida e com o meu corpo!

Relacionados

Comentários

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *