Se você pudesse comer, ainda ia querer?

by | Mar 15, 2021 | Alimentação, Autocuidado, Fome Emocional

Quando você sente suas calças te apertando, é tentador buscar a segurança de pesar a comida ou contar porções. Isso te dá a ilusão de controle, mas é totalmente ineficaz.

Se o comer emocional fosse um esporte olímpico, eu seria medalhista de ouro. Como me tornei tão boa nisso? Graças aos muitos anos de tentativas malsucedidas de emagrecer com uma dieta.

Minha história com elas é tão intensa que eu não consigo olhar para uma foto antiga de mim mesma sem me recordar da maldita dieta com a qual eu estava me punindo na época – zero carboidratos, zero açúcar, Dukan, flexível, não comer depois das 20h, não comer antes das 12h, zero laticínios, Paleo, Keto e, por último, mas não menos importante, a Dieta Líquida.

Todas elas funcionaram. Por, tipo, 10 minutos. Houve algumas ocasiões em que fui capaz de aguentar por algumas semanas, mas quanto mais tempo passava, mais difícil ficava. Eu colecionava mais regras, mais restrições, mais formas de postergar minha felicidade até caber no “manequim ideal”.

Minha vida encolheu, mas minhas calças nunca. Inevitavelmente, todas as dietas deixaram de funcionar. E aqui está o porquê: As dietas não funcionam porque não te ajudam a entender porque você sente uma compulsão para comer quando não está fisicamente com fome. Quando você perde peso em uma dieta, você não perde as razões pelas quais você come emocionalmente. Elas ainda estão lá, esperando por pelo momento em que a sua vida vai ficar difícil. Quando isso acontece, você vai precisar de conforto ou de uma fuga da realidade, e a comida estará de braços abertos dizendo “senti sua falta”.

Quando a vida fica difícil, os comedores emocionais recorrem à segurança e conforto da comida. Quanto mais dietas você faz, mais esse cobertor é atraente e reconfortante.

O caminho conhecido (e ineficaz)

Claro, quando você sente suas calças te apertando, é tentador buscar a segurança de pesar a comida ou contar porções. Isso te dá a ilusão de controle, mas é totalmente ineficaz. Você não tem nenhum problema alimentar. Você tem problemas para lidar com suas emoções, mas é mais fácil se matar na academia ou contar macros do que tentar entender o que você está sentindo e o que o ajudaria a se sentir melhor (além de um pote de sorvete tamanho família).

Quando você se sente gorda e infeliz, o desejo de voltar a fazer dieta volta com tudo. Vemos comerciais e perfis sociais de mulheres magras e sorridentes comendo uma barra de proteína sem açúcar e pensamos que essa é a nossa porta de entrada para a felicidade. Sentimos uma explosão repentina de esperança, energia e força de vontade. “Desta vez vai ser diferente!”

Exceto que nunca é, não é?
Aqui estão quatro razões pelas quais você não deve fazer isso:

  1. Para cada restrição, há uma compulsão igual e oposta, e você ganhará mais peso do que perdeu.
  2. A mensagem básica da maioria das dietas é que você deve se privar de todos os seus alimentos favoritos, e se você se permitir comer algo “fora do plano”, você e você vai comer até as paredes porque não tem força de vontade. Isso não é uma coisa gentil de se dizer sobre você e também não é verdade.
  3. Transformações corporais permanentes só acontecem são baseadas em amor-próprio, não em aversão a nós mesmas. A voz da dieta é como ter a Madrasta Má dentro de sua cabeça, dizendo constantemente que você não é boa o suficiente, te puxando para baixo o tempo todo. Você não merece isso.
  4. Por último, o medo, a culpa e a vergonha nunca levarão a uma mudança permanente e duradoura. O ódio ao seu corpo não muda o seu corpo, só o torna um lugar mais difícil de viver.

É hora de se libertar da prisão da comida.
Eu sei que você tem medo de que, se começar a comer bolo de chocolate, nunca vai parar, mas, por favor, perceba que razão pela qual o bolo de chocolate é tão atraente porque é proibido.

Você quer o que você não pode ter. Mas e se você se desse permissão para tê-lo? Você ainda ia querer?

Confie em si mesma. Comece devagar. Aproveite para descobrir os alimentos que fazem você se sentir bem em seu corpo, comendo quando você está com fome e parando quando seu corpo está satisfeito.

Quando quiser comer quando não estiver com fome, pergunte-se por quê. O que você precisa? Você está comendo porque acredita que merece um pouco de bondade? Por que merece ser punida por algo?

Tente entender as razões emocionais pelas quais você está se voltando para a comida. Só então você será capaz de atingir seu peso natural comendo o que você gosta, sem restrições e sem obsessão.

Em que eu posso ajudá-la agora? Você não precisa fazer isso sozinha. Eu estou sempre aqui para você.

Lívia Raimundo

Lívia Raimundo

Coach Alimentar, Pn1

Eu ajudo mulheres a comerem melhor e emagrecerem sem neuras.

Eu sou coach nutricional, doutora em marketing de alimentos, estudante de Nutrição, aquariana, louca por café, livros e um bom papo. Eu também amo cozinhar (e comer, óbvio).

Eu vivo em São Paulo com o meu noivo e dedico a maior parte do meu tempo a inspirar mulheres a alcançarem uma relação mais leve e feliz com a comida e com o próprio corpo.

O Passo-a Passo para Escapar da Prisão da Comida

Quiz da Liberdade Alimentar

Teste seu nível de conhecimento e habilidade nos exatos pontos que eu aprendi a dominar para reescrever a minha história com a comida e com o meu corpo!

Relacionados

Comentários

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *