Final de Ano: um guia de sobrevivência!

por | dez 21, 2021 | Autocuidado, Mentalidade

As festas de fim de ano chegaram… Aquela época gostosa em que festejamos em torno dos alimentos, com muita variedade e valor afetivo envolvido nas receitas, vemos os parentes mais próximos e os mais distantes, e celebramos a vida com muito amor e boas energias. 

Porém, para as pessoas que passaram o ano todo  se controlando, fiscalizando o próprio peso, tentando fazer as melhores escolhas alimentares, mal começa o mês de dezembro e já bate aquele desespero: “O que eu vou fazer diante das comidas para o final de ano?”

De repente, o medo de engordar surge como uma preocupação maior do que festejar com quem você ama e apreciar receitas tão saborosas, aromáticas e que, de um modo geral, nos remetem a muitas lembranças. 

Outro problema que surge nessas épocas é o reencontro com familiares e amigos que não perdem a oportunidade de dar pitaco na sua aparência, na sua vida e, principalmente, no seu corpo. Muitas vezes, com apenas um comentário, o que era pra ser um momento feliz se torna uma situação constrangedora. 

Mas, por que estragar esse momento bonito do ano pensando em dieta? Por que se importar com o que as pessoas acham do SEU corpo? Hoje, eu quero conversar sobre como o medo de engordar surge como uma enorme preocupação na cabeça das pessoas durante as festas e como essas celebrações podem contribuir para a nossa insegurança com o corpo, e é claro, como lidar com esses fatores. 

O segredo: comer de tudo, mas não tudo. 

Acho triste encarar as ceias como uma certeza de que você vai engordar, afinal, comer é prazer, e comer junto é uma das maiores felicidades do ser humano.

É preciso aproveitar o momento e tentar se alimentar de forma consciente, mas sem ser radical! Eu posso afirmar que esse tipo de preocupação exagerada gera um comer transtornado, e, no final das contas, você acaba nem saboreando com gosto todas as coisas que estão na mesa. 

No caminho contrário das dicas que vemos por aí, eu não quero te proibir de comer nada. 

Eu sempre gosto de passar uma mensagem positiva sobre o ato de comer, principalmente quando se trata das comidas para o Natal, que têm todo um simbolismo por trás dos ingredientes.

Ao mesmo tempo, eu creio muito no poder da mudança de comportamento, e, tenho certeza que com algumas dicas, posso te ajudar a transformar sua relação com a comida em algo mais tranquilo  não só durante as festas e sim o ano todo. 

Em primeiro lugar, eu quero que você coma de tudo, mas não tudo (leia novamente!). Um comportamento muito comum é ficar se privando o mês inteiro de vários alimentos para poder cometer todos os excessos de uma só vez, ou então, passar o dia todo sem comer para chegar à ceia quase desmaiando de fome…

Mas, obviamente, isso não faz nada bem, portanto, no dia de Natal ou de Ano Novo, faça todas as refeições normalmente. É claro que não é preciso jantar antes de ir à festa, mas é interessante que você chegue na ceia sem estar sentindo uma fome de leão, assim, você poderá fazer escolhas mais conscientes na hora de montar seu prato. 

Diante da variedade de comidas, também  é normal querer experimentar de tudo. Você pode sim pegar um pouco de cada coisa, mas, ao invés de comer um prato gigantesco, invista em porções menores, dessa forma, você evita exageros. 

Além disso, tente comer sem pressa, praticando o comer consciente, com atenção ao que está levando à boca, saboreie com prazer e, principalmente, sem culpa!

Tente dar mais atenção aos sinais de fome e de saciedade, não só em dezembro como durante o ano todo. Se tiver vontade de repetir, tá tudo bem! Mas, pergunte-se se você está no piloto automático ou se é uma vontade genuína de comer, isso vale tanto para a ceia quanto para a vida. 

Você vai perceber que se praticar uma relação mais saudável com a comida durante o ano inteiro, dezembro não será mais um problema na sua alimentação. Se prestar um pouco mais de atenção no que está fazendo e focar menos nas calorias, você conseguirá aproveitar todos os sabores e o medo de engordar irá embora. 

Quando a gente come com prazer, come menos, e aproveita mais! Lembre-se: o segredo não é restrição e dietas, e sim, procurar comer melhor.

E os comentários sobre o nosso corpo?

É natural e esperado que busquemos aceitação do próximo, principalmente de quem é próximo a nós. 

Porém, querer agradar todo mundo o tempo todo cansa, e é preciso ter em mente que é normal estar com um corpo diferente do que o do Natal passado, principalmente nesses tempos pós pandemia, em que passamos um longo período em casa. 

Um corpo é um corpo, seja ele gordo ou magro. Não espere a aprovação dos outros para viver bem. Ninguém é perfeito, e as pessoas que criticam as outras não são melhores do que ninguém, lembre-se que o comentário negativo do outro diz mais sobre ele do que sobre você! 

Tente se relacionar com as pessoas que te aceitam do jeito que você é, e deixe de lado  quem te incomoda com comentários maldosos, afinal, o SEU corpo pertence a você e mais ninguém, só cabe a você falar sobre ele. 

Viva o melhor do Natal e do Ano Novo com essas dicas de sobrevivência e tenha boas festas! Eu te desejo muita felicidade, paz e muito amor, tanto com os outros quanto com você e com seu corpo <3 

Lívia Raimundo

Lívia Raimundo

Terapeuta Nutricional

Eu ajudo mulheres a emagrecer desafiando a cultura da dieta.

Eu sou nutricionista e coach nutricional, doutora em marketing de alimentos, aquariana, louca por café, livros e um bom papo. Eu também amo cozinhar (e comer, óbvio).

Eu vivo em São Paulo com o meu marido e nossos dois filhos de quatro patas, e dedico a maior parte do meu tempo a inspirar mulheres a alcançarem uma relação mais leve e feliz com a comida e com o próprio corpo.

O Passo-a Passo para Escapar da Prisão da Comida

Quiz da Liberdade Alimentar

Teste seu nível de conhecimento e habilidade nos exatos pontos que eu aprendi a dominar para reescrever a minha história com a comida e com o meu corpo!

Relacionados

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *