Engordei na quarentena. E agora?

by | Dec 10, 2020 | Autocuidado, Autoestima, Mentalidade

7 dicas para priorizar sua saúde física e mental em tempos pandêmicos

Outro dia, conversando com uma amiga, ela relatou estar se sentindo mal e culpada por ter engordado na quarentena. E eu me lembrei de quantas vezes também me senti constrangida por ter ganhado peso, achando que seria julgada, excluída, rejeitada.

Isso acontece porque, socialmente, encaramos o ganho de peso como a pior das derrotas, principalmente para uma mulher. Isso é tão forte que, em plena pandemia mundial, viralizaram posts de “antes e depois da quarentena” mostrando pessoas magras que viraram gordas como algo engraçado. 

É preciso ter cuidado com esse tipo de conteúdo por dois motivos.

O primeiro é que isso reforça um estereótipo pejorativo de pessoas gordas, associando-as ao descontrole, preguiça, sedentarismo. Isso está longe da verdade!

O segundo é que esse tipo de “piada” é um golpe direto na nossa saúde mental e aumenta nossas inseguranças em relação à imagem corporal e à alimentação. 

Mudanças drásticas de rotina – como o isolamento social – de fato podem ter levado muitas pessoas a um ganho de peso. Além de reduzir a carga de exercícios físicos, vivemos uma atmosfera de tensão, medo e tristeza pela disseminação de uma doença que atinge milhões de pessoas pelo mundo. Isso sem contar que as pessoas que sofrem com o comer compulsivo também podem ter esses sintomas acentuados num período como este.

Para ajudar a aliviar a sua tensão sobre esse assunto, eu tenho sete dicas para te ajudar a manter a lucidez e não se desesperar.

 1 – Está tudo bem se o seu corpo aumentou de tamanho.

Isso não define o seu valor como pessoa e você pode, em nome da sua saúde, se afastar de qualquer pessoa que te faça acreditar no contrário. Sua maior prioridade, especialmente agora, deve ser garantir sua saúde física e mental e não ter um corpo “perfeito”. 

2 – Respire.

Respire o quão fundo precisar, quantas vezes quiser. O desespero não te ajuda a fazer escolhas saudáveis para você. Quando estamos desesperadas, nós costumamos tomar atitudes imprudentes para “consertar” nossa aparência, que muitas vezes acarretam um prejuízo à nossa saúde. Procure formas de se sentir mais acolhida e calma que não envolvam um “plano de contenção de danos detox de 21 dias”. 

3 – Tente comer de forma presente, sem distrações, quando tiver fome física.

Nesses momentos, o esforço precisa acontecer no sentido de reconectar-se com o seu corpo -e não contar gramas de carboidrato. Se você andou comendo mais do que o seu corpo precisava, por qualquer motivo, volte sua atenção para os sinais que ele te dá. Ele está ansioso para que você volte a respeitá-lo.

4 – Cuidado com as redes sociais.

A última coisa que você precisa é aumentar sua ansiedade e se sentir mais insatisfeita por comparação com o corpo alheio. Policie o que você anda consumindo diariamente, analise o seu feed e faça uma boa ação de limpeza. Sua saúde mental agradece.

5 – Faça algum exercício físico que você ame e sinta prazer.

Isso vai te fortalecer, aumentar sua imunidade e autoestima e reduzir o estresse. Além disso, mover o seu corpo é uma ótima forma de lembrar-se de que ele é um instrumento para a sua vida, e não um ornamento a ser moldado num determinado manequim. Mexa-se e perceba como o seu corpo é funcionalmente incrível para suportar a sua vida.

6 – Evite comentários maldosos ou julgamentos sobre o corpo alheio (e sobre o seu próprio).

Essa vigilância só reforça o valor feminino associado à imagem e não ajuda ninguém a ter paz. A vergonha e a culpa nunca levam à mudança, só ao desespero (reveja o ponto dois).

7 – Lembre-se: o corpo é dinâmico e sempre vai mudar.

Isso faz parte da vida. A única coisa que você pode fazer é garantir que ele tenha todas as condições para ser feliz e saudável! Nutra-se com alimentos saudáveis, respeite os sinais que ele te dá, coma com prazer e moderação.

O que eu disse para minha amiga – e te falo agora – é que a nossa prioridade deve ser sempre o cuidado com a nossa saúde física e mental. Lembrar que respirar, mover o corpo, manter a mente ocupada com qualidade e se alimentar bem e de forma consciente são ingredientes básicos para uma vida equilibrada. Não só na quarentena como em todos os outros períodos difíceis que você enfrentar na vida.

Lívia Raimundo

Lívia Raimundo

Coach Alimentar, Pn1

Eu ajudo mulheres a comerem melhor e emagrecerem sem neuras.

Eu sou coach nutricional, doutora em marketing de alimentos, estudante de Nutrição, aquariana, louca por café, livros e um bom papo. Eu também amo cozinhar (e comer, óbvio).

Eu vivo em São Paulo com o meu noivo e dedico a maior parte do meu tempo a inspirar mulheres a alcançarem uma relação mais leve e feliz com a comida e com o próprio corpo.

O Passo-a Passo para Escapar da Prisão da Comida

Quiz da Liberdade Alimentar

Teste seu nível de conhecimento e habilidade nos exatos pontos que eu aprendi a dominar para reescrever a minha história com a comida e com o meu corpo!

Relacionados

A jornada da Liberdade Alimentar

A jornada da Liberdade Alimentar

As dietas são aqueles falsos atalhos que pegamos na tentativa de chegar logo ao objetivo de estar bem com o nosso corpo. Mas, na verdade, elas são como uma estrada no sentido contrário da felicidade, que só nos afastam do nosso autoconhecimento, ditando regras externas que te fazem acreditar que você não é capaz de gerenciar o seu corpo. Aqui está o que você pode esperar quando abandona a prisão das dietas em direção à liberdade alimentar.

read more

Comentários

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *