Como Se Livrar Da Mentalidade De Dieta E Comer Sem Culpa

by | Aug 23, 2018 | Alimentação, Mentalidade

Recentemente, me perguntaram o como eu consegui me livrar da mentalidade de dieta e comer sem culpa as coisas que eu gosto.

Eu confesso que tive que refletir um pouco pra responder, recapitulando a minha jornada.

O processo não foi instantâneo, nem só alegria. Mas hoje, algumas coisas estão tão enraizadas em mim que eu quase não entendo quando uma pessoa aponta pra uma trufa “fit” e fala “essa pode comer sem culpa” (como eu ouvi no último aniversário que fui).

Pra mim, esse é um passado distante. Mas eu já estive lá! E por isso eu acho válido compartilhar um pouco dessa transição de prisão mental para a liberdade alimentar.

VOCÊ ESTÁ PRESA NA MENTALIDADE DE DIETA?

Antes de te explicar o que você precisa fazer para abandonar a mentalidade de dieta , eu quero deixar claro o que eu quero dizer com “dieta”.

No meu trabalho e também pra fins deste texto:
Dieta é qualquer tipo de imposição alimentar associada com emagrecimento.
Eu falo “imposição” porque não é você quem determina o que é bom ou não, o que é livre ou não, o que pode ou não, a hora que pode, etc.

Isso é estipulado por outra pessoa, seja diretamente – do tipo um livro ou uma prescrição – ou indiretamente – como quando você fala “não estou de dieta” mas ainda assim come o seu pãozinho com culpa achando que vai engordar.

Diretamente ou não, você está presa na mentalidade de dieta.

Além disso, há o foco está no emagrecimento. Eu nunca ouvi ninguém dizer (nem nunca disse) “eu vou começar uma dieta porque eu quero me sentir melhor”.

Você pode sim se sentir melhor ao melhorar a qualidade da sua alimentação mas, normalmente, esse não é o objetivo. Em geral, quando alguém diz “estou de dieta”, o que essa pessoa quer dizer é “eu estou tentando emagrecer”.

Aí sempre tem alguém que fala assim (e eu também dizia isso):

Mas não é dieta, é um estilo de vida.
Então me responde sinceramente:
Se você estivesse certa de que você não iria emagrecer nenhum grama em seis meses seguindo este “estilo de vida”, você ainda comeria assim?
Quando tiramos o emagrecimento da equação, as coisas parecem menos atraentes, não?

E então nós chegamos na primeira coisa que você precisa fazer (e que eu fiz) pra parar de fazer dieta e conseguir comer sem culpa

MUDE O FOCO DE EMAGRECIMENTO PARA BEM-ESTAR

Eu sei que parece contraintuitivo mas, se você quer emagrecer, comece tirando o foco do emagrecimento.

Quando nós começamos uma dieta, nós ficamos fisiologicamente e emocionalmente mais propensas a querer coisas “proibidas” e sentir aquela “falta de controle” com as quantidades.

Esses mecanismos de compensação são naturais, o seu corpo quer te manter viva! E ao invés favorecer o seu emagrecimento, você fica presa num ciclo de restrição, excesso e culpa, sendo incapaz de criar, consistentemente, o déficit calórico que você precisa.

Mas, quando você muda a perspectiva para bem-estar, buscando se sentir melhor física, mental e emocionalmente, você vai na raiz do problema, que é a sua relação com a comida.

Quando você parte de um ponto de autocuidado , você é capaz de ouvir e respeitar o seu corpo, você é capaz de escolher alimentos mais nutritivos sem esforços, você elimina os impulsos pelas coisas “proibidas” e, como consequência, os excessos. Esse conjunto de fatores é o que favorece o emagrecimento – se realmente há peso a perder.

Ao mudar o foco, você acaba com amentalidade do tudo ou nada, que funciona assim:
Ou eu como saudável ou eu vivo de porcaria.
Ou eu estou tentando emagrecer ou dane-se a minha saúde.
Ou eu não como nenhum ou eu como 200.
Existe meio termo. Existe um mundo em que você consegue comer maçã por que você gosta e chocolate porque você gosta. Ambos em quantidades assertivas pro seu bem-estar. Mas, enquanto houver foco no emagrecimento a qualquer custo, você ainda vai sentir que comer maçã te faz uma “boa menina” e que comer chocolate de faz uma “menina má” – e as meninas más são invariavelmente culpadas.

Assim, nós chegamos ao segundo ponto.

ESQUEÇA O AUTOCONTROLE

Eu sei, mais uma vez parece loucura! Mas, por favor, acompanhe a reflexão.

Fazer dieta sempre está associado com mais disciplina, mais autocontrole e mais força de vontade – o famoso força, foco e fé.

Eu não sei se você, mas eu passei metade da minha vida achando que era isso que me faltava pra emagrecer. Se ao menos eu tivesse mais vergonha na cara, eu seria magra. Se eu conseguisse me controlar mais, eu não me sentiria um lixo humano.

Mas me diga, o que acontece quando você tenta controlar alguém?

Tente fazer isso com o seu parceiro ou com os seus filhos. Seja autoritária e imponha as suas vontades sem diálogo. Faça da vida deles um quartel general. O que você acha que vai acontecer? O que você sente quando alguém tenta te controlar e mandar na sua vida?
Controle tem a ver com manipular, reter, prender.
E que você quer?
Liberar peso. Perder. Soltar.
Percebe como são coisas contraditórias?

Nós confundimos autocontrole com autocuidado.
Você acha que precisa se controlar para não comer uma caixa inteira de bombons, para não comer meio quilo de carne num churrasco, para não comer 3 pedaços de bolo numa festa… Quando na verdade você não alimentaria uma criança assim, simplesmente por se preocupar com a saúde e o bem-estar dela.

Aliás, pensar na ideia de alimentar uma criança com as coisas e quantidades que você come é uma ótima estratégia para saber se você está se cuidando ou não.

Mais uma vez, ao priorizarmos o cuidado com os nosso corpos, nós somos capazes de fazer melhores escolhas naturalmente, sem precisar de mais força de vontade. Porque esta, invariavelmente, acaba.

E, por fim, o ponto essencial pra virar a sua chave e conseguir se sentir livre pra comer.

ENTENDA QUE A RESPOSTA ESTÁ EM VOCÊ

Você é a especialista do seu corpo. Você veio com um manual de instruções completo de como cuidar bem dele. Infelizmente, nós somos levadas a acreditar que esse manual está errado, por isso a gente deixa ele no fundo da gaveta – embaixo da pilha de prescrições alimentares que vamos colecionando ao longo dos anos.

Aceitar que esse manual era a minha melhor opção foi o ponto de virada. É assustador porque, quando você o resgata, tem muitas partes que o tempo apagou. Tem lacunas que você vai ter que preencher de novo. Você vai ter que fazer testes, e testes implicam em erros. Mas quanto mais você o preenche com os seus acertos, menos erros você comete.

Pra mexer nele você precisa se livrar de qualquer pre-concepção que você tenha sobre a comida e sobre o seu corpo. É preciso esquecer o que você sabe e reaprender algumas coisas.

Olhar a comida com curiosidade, como se você estivesse encontrando cada alimento pela primeira vez.
Olhar para o seu corpo com curiosidade, percebendo como ele se sente com os alimentos que você come.
Olhar para as emoções que surgem antes, durante e depois de comer?
Nesse processo, a comida deixa de ser sua inimiga e o seu corpo deixa de ser o traidor.

A jornada pode ser assustadora, mas o destino final é indescritível.
Se você acha que se sentiria melhor acompanhada, saiba que você pode contar com a minha ajuda.

Você merece ser livre!

Lívia Raimundo

Lívia Raimundo

Coach Alimentar, Pn1

Eu ajudo mulheres a comerem melhor e emagrecerem sem neuras.

Eu sou coach nutricional, doutora em marketing de alimentos, estudante de Nutrição, aquariana, louca por café, livros e um bom papo. Eu também amo cozinhar (e comer, óbvio).

Eu vivo em São Paulo com o meu noivo e dedico a maior parte do meu tempo a inspirar mulheres a alcançarem uma relação mais leve e feliz com a comida e com o próprio corpo.

O Passo-a Passo para Escapar da Prisão da Comida

Quiz da Liberdade Alimentar

Teste seu nível de conhecimento e habilidade nos exatos pontos que eu aprendi a dominar para reescrever a minha história com a comida e com o meu corpo!

Relacionados

Coisas que te nutrem além da comida

Coisas que te nutrem além da comida

Se você percebe que frequentemente come sem fome genuína e que grande parte da sua alimentação é movida pelas suas emoções, pode ser que outros aspectos da sua vida estejam desnutridos. Ampliar as suas formas de suprir suas demandas internas é um passo muito importante no caminho da liberdade e autonomia alimentar!

read more
Engordei na quarentena. E agora?

Engordei na quarentena. E agora?

A sua prioridade deve ser sempre o cuidado com a sua saúde física e mental. Lembrar que respirar, mover o corpo, manter a mente ocupada com qualidade e se alimentar bem e de forma consciente são ingredientes básicos para uma vida equilibrada. Não só na quarentena como em todos os outros períodos difíceis que você enfrentar na vida.

read more

Comentários

0 Comments