Comida de dieta? ECA!

by | Jul 4, 2021 | Alimentação, Emagrecimento

Como fazer as pazes com elas e ter prazer comendo saudável

O termo “comida de dieta” te apavora?

Você sente um desprezo antes mesmo de saber o gosto das coisas consideradas fit?

Você não está sozinho! E acredite: mudar esse paradigma é fundamental para que você consiga melhorar seus hábitos alimentares sem sofrimento.

Antes de qualquer coisa, vamos conceituar rapidamente “comida de dieta” como aquelas comidas popularmente consideradas “boas” para o seu corpo – alimentos nutritivos dos quais você provavelmente comeu até se entupir quando queria emagrecer – lembra do Dia da Maçã? Do detox de suco de kale? Da dieta do ovo?

Lembre-se de qualquer momento em que você comeu algo até ficar nauseado com o objetivo de perder peso. Lembrou? Ótimo!

Por favor, tente se lembrar do contexto que isso aconteceu. É muito possível que, além de comer muito daquela alimento, você também estivesse: passando fome, impossibilitado de comer o que você realmente queria, se sentindo privado por ver outras pessoas comendo o que você queria, restringindo a quantidade do que você podia comer e sonhando com doughnuts e pizza o dia todo. 

Esses alimentos eram consumidos num contexto de obrigação e punição. Eles não te satisfaziam de verdade, porque sua fome (emocional) talvez nem fosse de comida.

Quando eu era mais nova, eu fui a uma nutricionista que me prescreveu um plano alimentar perfeito para perder alguns quilos. Meu almoço consistia em vegetais, um pouco de arroz e uma proteína magra. Eu me lembro de, na segunda consulta, perguntar se eu poderia comer o triplo de abobrinha do que ela havia recomendado. Ela me olhou com uma cara de confusão: quem em sã consciência comeria tanta abobrinha?

Bom, uma pessoa que se sentia um poço sem fundo e não podia comer outra coisa.

Entende como o trauma funciona?

O resultado disso é que acabamos associando alimentos adoráveis (como abobrinha) a sofrimento e privação. Nós os comemos até enjoar.

E sabe o pior de tudo?

Eles falharam com a parte deles e não te emagreceram para sempre. Eles não cumpriram a promessa.

“Mas esses alimentos são sem graça”

Eu reconheço que é verdade. Não dá para comparar a palatabilidade (sabor) de um tomate ao de chips.

Mas além do estímulo ao paladar, tem algo que você provavelmente está desconsiderando. A verdade é que tudo o que é constantemente disponível perde a graça.

Alface é ilimitado e disponível? Sem graça.

Chocolate é restrito e deve ser evitado? UAU.

SEMPRE que você sentir que “não pode comer o quanto quiser” de algum alimento (leia-se, uma quantidade ilimitada sem prejuízos), ele fica mais atraente, mais irresistível, e muito mais divertido.

Por isso, duas coisas resolvem a questão de “não ter graça”. 

A primeira é a boa e velha permissão incondicional para comer. Coma o que você quiser, quando quiser, vai te tirar o senso de escassez sobre a comida e os alimentos divertidos vão ficar mais triviais. (calma, eles ainda vão ser divertidos, eu te prometo).

A segunda é parar de comer alimentos saudáveis e nutritivos como se você estivesse de dieta: sem gordura, sem sal, sem açúcar – SEM GRAÇA. Adicionar temperos e algum óleo vai agregar sabor e textura ao prato, o que vai estimular o seu paladar.

Em geral, os alimentos naturais não são muito apelativos ao paladar (pense em vegetais, frutas, cereais integrais, carnes magras) – e a indústria de alimentos sabe muito bem disso! Cabe a você colocar “graça” nesses alimentos.

Você pode fazer isso:

  1. via adição
  • Adicione um pouco de queijo ou de manteiga nos seus vegetais
  • Coma versões integrais de laticínios
  • Use manteiga de amendoim ou castanhas com moderação
  • Experimente frutas congeladas ou aquecidas polvilhadas com leite em pó
  • Jogue torradinhas quebradas ou um mix de sementes na salada, além de um fio de mel e um molho caseiro
  • Experimente colocar abacate, manga e outras frutas em saladas

Se nada disso te agrada, talvez você precise reeducar seu paladar. É fato.

  1. via no ritual

Tudo que envolve estímulo visual, auditivo, ambiental, de pessoas e de presença

  • Use uma toalha bonita (e limpa!)
  • Tenha um vasinho de flor na mesa
  • Coma em ótima companhia e evite assuntos difíceis de digerir à mesa
  • Coma longe do celular e telas em geral

Experimente tirar esses alimentos do limbo. Teste uma receita, outra e depois outra. Encontre uma forma genuinamente prazerosa de comer.

Acredite ou não, brócolis continua sendo brócolis depois que você coloca manteiga nele.

Lívia Raimundo

Lívia Raimundo

Coach Alimentar, Pn1

Eu ajudo mulheres a comerem melhor e emagrecerem sem neuras.

Eu sou coach nutricional, doutora em marketing de alimentos, estudante de Nutrição, aquariana, louca por café, livros e um bom papo. Eu também amo cozinhar (e comer, óbvio).

Eu vivo em São Paulo com o meu noivo e dedico a maior parte do meu tempo a inspirar mulheres a alcançarem uma relação mais leve e feliz com a comida e com o próprio corpo.

O Passo-a Passo para Escapar da Prisão da Comida

Quiz da Liberdade Alimentar

Teste seu nível de conhecimento e habilidade nos exatos pontos que eu aprendi a dominar para reescrever a minha história com a comida e com o meu corpo!

Relacionados

Comentários

0 Comments

Submit a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *