Eu Vou Emagrecer Se Eu Aprender O “Comer Intuitivo”?

by | Aug 23, 2017 | Alimentação

Você já parou para pensar o que aconteceria com o seu peso se você parasse de fazer dieta?

Eu conheço um grande número de mulheres que desejam parar de fazer dieta, mas só de pensar em parar controlar o que colocam na boca já tremem de medo de ganhar peso. A vontade de aprender o comer intuitivo, ou alimentação intuitiva, é grande… mas não parece nenhum pouco segura.

Esta semana eu recebi a seguinte mensagem:

Oi Lívia, Eu entendo que “fazer dieta” pode estar atrapalhando meu emagrecimento, porque eu vivo saindo da linha todo final de semana. Eu também sei que peso não é a melhor medida para saúde e que a balança não é uma amiga muito fiel.Então eu queria muito saber se, quando eu conseguir “comer intuitivo”, ou seja, parar de cometer excessos e aprender a “comer normal”, eu posso esperar perder peso? Ou seja, eu vou emagrecer se eu parar com a neura da dieta e começar a comer intuitivamente?

Nota: eu vou considerar aqui que “fazer dieta” é tentar controlar constantemente a ingestão de alimentos, ok?

Bom, essa é uma pergunta excelente!E a resposta direta para ela é: talvez sim, talvez não.

Tudo depende do peso em que o seu corpo naturalmente se estabiliza sem esforços – o famoso “set point”  (que eu chamo de peso de estabilização). Este ponto é aquele em que o seu corpo tende a se manter sem interferências, ou seja, sem restrição calórica, sem cortar carboidratos ou gorduras, sem contar calorias, sem excessos alimentares, etc.

Importante: set point de cada um é ÚNICO! É individual, ou seja, cada um tem o seu. E o seu é diferente do da sua irmã, do da sua amiga, e do da Pugliesi.

COMO EU SEI O MEU SET POINT?

Enquanto uma pessoa que nunca fez dieta pode ver seu peso normalmente flutuar de 2 a 5 quilos (acima ou abaixo) desse peso de estabilização, uma pessoa que fez inúmeras dietas (ou que vive num estado mental de dieta) pode ter flutuações mais severas. Ou seja, o peso dessa pessoa pode ir muito mais abaixo ou mais acima do seu set pointdependendo do seu histórico de efeito sanfona.

Pra ficar mais claro, eu vou me usar como exemplo.

No meu peso mais baixo (aquele que eu ACHAVA que era o ideal pra mim), o qual eu mantinha fazendo dietas muito restritivas e tendo crises de compulsão constantes, eu pesava cerca de 5 quilos a menos do que meupeso atual – o que eu mantenho naturalmente sem grandes esforços, comendo de tudo com equilíbrio e tendo energia de sobra para minhas atividades diárias. No meu peso mais alto, aquele que eu normalmente alcançava quando virava a chave de “preciso emagrecer” para “dane-se, vou comer e ser feliz”, eu pesava pouco mais de 10 quilos a mais do que esse peso atual.

Em resumo, a única forma de saber qual o SEU set point é buscar desenvolver um relacionamento mais saudável com a comida (mentalmente e fisicamente) e ver o que acontece. Simples assim.

Não perca seu tempo tentando calcular o número que você PENSA que é (ou deveria ser) – essa é uma armadilha que vai te manter presa na mentalidade de dieta. Tentar adivinhar gera expectativa – a qual rapidamente se transforma em autocrítica relacionada à comida (conhecida como restrição emocional inconsciente), que leva aos excessos alimentares, ao comer emocional, ao mau-humor, etc.).

O SET POINT É VARIÁVEL AO LONGO DA VIDA

Tentar adivinhar esse peso de estabilização também é inútil porque ele varia com o tempo. Ou seja, só porque você pesava 70 quilos quando começou sua primeira dieta, não significa que o seu corpo naturalmente vai retornar a esse peso após anos de restrição. Alguns fatores podem afetar o seu set point ao longo do tempo, incluindo idade, gravidez, variações hormonais, eventos da vida e histórico de dietas.

SIM. Fazer dieta pode aumentar o seu set point ao longo do tempo. Se a restrição leva a uma perda temporária de peso, ela pode também acarretar mudanças permanentes no seu metabolismo no outro sentido. Quem nunca sentiu mais dificuldade de emagrecer depois de ter reganhado o peso perdido? Este é um dos motivos pelos quais as dietas, no longo prazo, colaboram pros quilos extras. 

Em geral, você provavelmente sempre estará ao redor do seu set point o ao longo do tempo, porque o seu corpo constantemente luta para ficar lá – e ele é mais forte que a sua força de vontade para se manter em restrição constante. A maior parte das pessoas á incapaz de mudar o seu set point, ou se manter abaixo dele por muito tempo sem sofrer um efeito rebote (reganho de peso).

Em outras palavras, o seu set point é o seu peso sustentável por definição. 

Assim, a real questão é: você está pronta para abraçar este peso, sair do ciclo de emagrece-engorda e comer de forma “normal”?⠀Ou você quer continuar a reprimi-lo a qualquer custo, sofrendo com variações cada vez mais dramáticas ao redor dele (para baixo E para cima), correndo o risco de elevar cada vez mais o seu set point ao longo do tempo.⠀

Eu pessoalmente escolhi minimizar os danos e parar de tentar suprimir os 5 quilinhos extras – que vivem em paz aqui comigo, obrigada.

Como resultado – ou feliz coincidência – os excessos da minha alimentação acabaram em algum tempo.

Lívia Raimundo

Lívia Raimundo

Coach Alimentar, Pn1

Eu ajudo mulheres a comerem melhor e emagrecerem sem neuras.

Eu sou coach nutricional, doutora em marketing de alimentos, estudante de Nutrição, aquariana, louca por café, livros e um bom papo. Eu também amo cozinhar (e comer, óbvio).

Eu vivo em São Paulo com o meu noivo e dedico a maior parte do meu tempo a inspirar mulheres a alcançarem uma relação mais leve e feliz com a comida e com o próprio corpo.

O Passo-a Passo para Escapar da Prisão da Comida

Quiz da Liberdade Alimentar

Teste seu nível de conhecimento e habilidade nos exatos pontos que eu aprendi a dominar para reescrever a minha história com a comida e com o meu corpo!

Relacionados

Coisas que te nutrem além da comida

Coisas que te nutrem além da comida

Se você percebe que frequentemente come sem fome genuína e que grande parte da sua alimentação é movida pelas suas emoções, pode ser que outros aspectos da sua vida estejam desnutridos. Ampliar as suas formas de suprir suas demandas internas é um passo muito importante no caminho da liberdade e autonomia alimentar!

read more
Engordei na quarentena. E agora?

Engordei na quarentena. E agora?

A sua prioridade deve ser sempre o cuidado com a sua saúde física e mental. Lembrar que respirar, mover o corpo, manter a mente ocupada com qualidade e se alimentar bem e de forma consciente são ingredientes básicos para uma vida equilibrada. Não só na quarentena como em todos os outros períodos difíceis que você enfrentar na vida.

read more

Comentários

0 Comments